Coloquio Habermas 2016

Clique AQUI para baixar os anais do XII Colóquio Habermas e III Colóquio de Filosofia da Informação

Conflitos contemporâneos: direitos humanos e solidariedade.

A injustiça é o medium da verdadeira justiça

Adorno

Os Colóquios Habermas e os Colóquios de Filosofia da Informação chegam a essa nova edição, em 2016, dando continuidade a troca de saberes entre pesquisadores nacionais e internacionais sobre temas diversos. Nesta ocasião a questão da superação dos conflitos contemporâneos por meio da promoção dos direitos humanos e da solidariedade é o que nos interpela.

Nosso mundo contemporâneo enfrenta três desafios mundiais complexos, a crise socioambiental; a crise econômica – que agrava a desigualdade social; e a crise dos ódios fundamentalistas. Podemos afirmar que há uma crise civilizacional, que gera conflitos trágicos e dramáticos. Trata-se de um cenário de conflitos em três áreas: socioambiental, econômica e político-cultural.

Neste contexto qual sentido há na afirmação dos direitos humanos? Existe espaço para a solidariedade num mundo regido por ultraliberalismo e  fundamentalismos de toda espécie? As comunicações da cultura do ódio, com toda a reafirmação de apartações, são mais fortes que a promoção dos direitos humanos? Não seriam os próprios direitos humanos apenas uma versão da colonização do capitalismo ocidental?

A teoria habermasiana desenvolve, ao menos, três proposições teóricas dos direitos humanos, que permitem irrigar reflexões em diferentes campos teóricos para aprofundar a reflexão sobre tais conflitos e suas soluções.  A primeira, como podemos observar em Faktizität und Geltung (HABERMAS, 1997), ocorre em diálogo com a teoria liberal, na busca de superá-la; afirma o papel dos direitos básicos como elementos proto-jurídicos, assentados na intersubjetividade linguística, reforça a noção de solidariedade. A segunda, em meio à discussão da condição pós-nacional, em Konstelation Post-National(HABERMAS, 2002), afirma a noção de direitos humanos arraigada na nossa condição intersubjetiva e comunicativa como aquela que nos habilita a superar os conflitos fundados em ruídos de comunicação gerados a partir dos discursos religiosos e dos discursos político-ideológicos. Este tema, também, é retomado na discussão sobre os direitos culturais, vinculados à noção de uma sociedade pós-secular, como desenvolvido em Zwinschen Naturalismus und Religion (HABERMAS, 2007). A terceira proposta nasce da discussão dos desafios da União Europeia e do cosmopolitismo, Verfassung Europas(HABERMAS, Habermas argumenta a necessidade de uma genealogia da noção de direito que se arraigaria na noção de dignidade humana, sendo a própria sustentação transcendental, não-metafísica, da nossa condição de sujeitos de direitos.

As três proposições não dialogam diretamente entre si, porém nelas se colocam os problemas fundamentais dos conflitos contemporâneos socioambientais, econômicos e das intolerâncias. Habermas nos instiga a buscar nos diferentes campos, dentre os quais a filosofia da informação, a possibilidade de respostas cosmopolitas e para além do especismo humano para tais desafios. Permanece aberta a questão sobre até que ponto o discurso habermasiano responde ao desenvolvimento de tensões crescentes, como os problemas decorrentes do, assim chamado, terrorismo e da condução de golpes de Estado, de natureza não-militar, os quais têm por efeito a redução imediata de direitos civis, políticos, sociais, econômicos, culturais e ambientais. Muito embora, fale-se que estejamos na Era dos Direitos, e existam crenças de esses serem legados universais, até mesmo objeto das Convenções internacionais de direitos humanos. Seriam os direitos humanos, como afirma Habermas, uma utopia realista?

Referências:

HABERMAS, Jürgen. Direito e democracia: entre facticidade e validade – Trad. Flavio Beno Siebeneichler. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1997.

HABERMAS, Jürgen. A constelação pós nacional: ensaios políticos. São Paulo: Littera Mundi, 2002.

Habermas, Jürgen. Entre o naturalismo e a religião: Estudos filosóficos – Trad. Flavio Beno Siebeneichler.  Rio de Janeiro: Tempo brasileiro, 2007.

Habermas, Jürgen. Sobre a Constituição da Europa Trad. Denilson Luis Werle; Luiz Repa; Rúrion. Melo. São Paulo: Editora UN

Artigos

(a lista de artigos do XII Colóquio Habermas será publicada em breve)

Galeria

img-20160804-wa0058

Organização

Comissão Organizadora

Cândido Francisco Duarte dos Santos e Silva
Clóvis Ricardo Montenegro de Lima
Delamar Volpato Dutra
Eula Dantas Taveira Cabral
Geni Chaves Fernandes
Jorge Atilio Silva Iulianelli
Marcia Heloisa Tavares de Figueiredo Lima
Valéria Cristina Lopes Wilke

Secretaria Executiva

(Em breve)

Colaboração/Apoio

(Em breve)

Comissão Editorial

(Em breve)

Pesquisadores

Cândido Francisco Duarte dos Santos e Silva

Atualmente é Professor Adjunto da Universidade Federal Fluminense -UFF no campus Macaé, aprovado em primeiro lugar em concurso de provas e títulos – Direito Processual Civil; é Professor Permanente do Programa de Pós Graduação em Sociologia e Direito (PPGSD-UFF), é membro dos grupos de pesquisa: “Democracia, Cidadania e Estado de Direito” – vinculado ao CNPQ, certificado pela Universidade Federal Fluminense através da Faculdade de Direito da UFF; “Jürgen Habermas: concepções, confluências e interlocuções” vinculado ao CNPq e certificado pelo Departamento de Direito Privado da UFF; “Estudos sobre dilemas e desafios da sustentabilidade em municípios recebedores de royalties no Estado do RJ”, certificado junto ao CPNq pelo Departamento de Administração da Universidade Federal Fluminense ? Macaé; associado ao CONPEDI, Conselho Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Direito e a ABRASD, Associação Brasileira de Pesquisadores em Sociologia e Direito; Doutor em Sociologia e Direito pela Universidade Federal Fluminense aprovado na seleção em 3º lugar para a linha de pesquisa Direitos Humanos, Justiça Social e Cidadania; Mestre em Direito pela UGF; Especialista em Direito Civil e Direito Processual Civil com didática do ensino superior pela UNESA. Tem experiência na área de Direito; já atuou como Gerente de Operações Pedagógicas da Nova Academia do Concurso pela Estácio Participações, como Diretor do Curso Praetorium, como coordenador de Ensino à Distância da Anhanguera Educacional Participações S/A, como Coordenador do Curso LFG no Rio de Janeiro e como Coordenador Adjunto do Curso de Direito do Centro Universitário Plínio Leite.

Charles Feldhaus

Graduado em Filosofia – Bacharel (2002) – Licenciatura Plena (2003) – pela Universidade Federal de Santa Catarina. Mestre em Filosofia – área de concentração – Ética e Filosofia Política – na Universidade Federal de Santa Catarina (2004). Especialista em Biossegurança (2004) – pela Universidade Federal de Santa Catarina. Doutor em Filosofia – área de concentração – Ética e Filosofia Política – pela Universidade Federal de Santa Catarina (2009). Posdoutorado em filosofia pela Martin Luther Universität Halle Wittenberg (2015) com apoio financeiro da CAPES. Professor Adjunto C da Universidade Estadual de Londrina. É professor permanente do Programa de Pós-graduação em filosofia – Mestrado – da Universidade Estadual de Londrina. Publicou artigos em revistas especializadas e é autor de dois livros (um sobre a filosofia prática de Immanuel Kant e outro sobre o pensamento bioético de Jürgen Habermas) e organizador de uma coletânea a respeito do pensamento de Jürgen Habermas.Coordena o diretório de grupo de pesquisa Teoria Moral e Ética Aplicada e um projeto institucional confrontando as teorias morais de Habermas, Rawls e MacIntyre. Leciona disciplinas nas áreas de filosofia moderna, ética e filosofia política e jurídica na Universidade Estadual de Londrina

Claudia Bucceroni Guerra

Professora Adjunta (DE) na UNIRIO. Doutorado em Ciência da Informação pelo convênio Ibict/UFRJ. Obteve também título de Mestrado em Ciência da Informação, em 2009, pelo convênio Ibict/UFF. É mestre em em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, em 1995, com especialização em História Medieval. Tem experiência na área de docência em ensino superior em: Ciência da Informação, Teoria da História, Cultura histórica, Fotografia, Fundamentos Arquivísticos, e outros. Tem especialização em metodologia de pesquisa, epistemologia, fotografia, comunicação científica, e arquivística.

Clóvis Ricardo Montenegro de Lima

Graduado em Medicina na Universidade Federal de Santa Catarina (1986). Mestre (1992) e Doutor (2005) em Ciência da Informação na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Mestre (1993) e Doutor (2000) em Administração na Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas. Pós-doutorado no Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (2010). Professor adjunto 2 da Universidade Federal de Santa Catarina (2006 a 2009). É pesquisador adjunto 2 do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia desde 2009. Coordenador do Grupo de Trabalho 5 – Política e Economia da Informação da ANCIB – Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação a partir de 2011. Tem experiência nas áreas de Ciência da Informação. Administração e Medicina. Tem abordado os seguintes temas nas suas pesquisas: agir comunicativo e discurso; aprendizagem e inovação; administração de organizações complexas e informação em saúde.

Delamar José Volpato Dutra

Graduado em Filosofia pela UCS, Bacharel em Direito pela UFSC, doutor em Filosofia pela UFRGS, com estágio de doutorado na Université Catholique de Louvain, Bélgica. Fez pós-doutorado na Columbia University (New York), tendo como tema “Dworkin’s Rationality of Adjudication and Habermas Critical Appraisal”. Fez também pós-doutorado na Aberystwyth University (País de Gales, Reino Unido), tendo como tema “Habermas s Critique of Kant and Hobbes”. É professor da Universidade Federal de Santa Catarina na graduação e no programa de pós-graduação em Filosofia, do qual foi coordenador nos anos de 2008 e 2009. Foi membro da comissão de avaliação da CAPES para a área de Filosofia nos anos de 2009 e 2010. Atualmente compõe a diretoria da ANPOF e é coordenador do GT Teorias da Justiça. É pesquisador do CNPq desde 1999. O projeto ora em curso versa sobre “A teoria discursiva do direito de Habermas e o positivismo jurídico”. Pesquisa sobre a fundamentação e a aplicação do direito, bem como sobre a relação entre moral e direito nas filosofias de Hobbes, Kant, Schmitt, Habermas, Hart e Dworkin. Publicou os livros “Razão e consenso em Habermas”, “A reformulação discursiva da moral kantiana” e “Manual de Filosofia do Direito”.

Edna Gusmão de Góes Brennand

Possui Pós-Doutorado pela Université Catholique de Louvain-UCL Bélgica (2005) e na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias- ULHT -Portugal (2012). Doutorado em Sociologia – Université Paris I Panthéon Sorbonne . Mestrado em Educação pela Universidade Federal da Paraíba . Graduação em Administração pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.Atualmente é Professor Associado IV oda Universidade Federal da Paraíba. Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Gestão nas Organizações Aprendentes- MPGOA.Tem experiência na área de Educação e Gestão. Atua nos Cursos de Mestrado e Doutorado em Educação da UFPB e no Mestrado Profissional em Gestão principalmente nos seguintes temas: agir comunicativo, ciberespaço, ecologias cognitivas, TV Digital Interativa, redes digitais e sistemas inteligentes, Gestão da Inovação, e Educação a Distância. Consultora da CAPES/UAB. membro do Conselho Científico e Pesquisadora do Laboratório de Aplicações de Vídeo Digital ? LAVID/UFPB. Coordenadora da Pesquisa ?Modelos Conceituais para indústrias criativas de conteúdos Digitais”.Coordenadora Técnica do Projeto Africanidade (Cabo Verde, Guiné Bissau e Brasil). Coordenadora da Biblioteca Digital Paulo Freire (www.paulofreire.ufpb.br). Idealizadora e Coordenadora Geral do Programa de Televisão ? Conexão Ciência? TVUFPB canal 43. Foi Coordenadora dos Cursos de Mestrado e Doutorado em Educação da UFPB, Coordenadora do Mestrado Profissional em Gestão nas Organizações Aprendentes-MPGOA, Presidente do Fórum Nacional da Área de Pedagogia CAPES/UAB e Presidente do Fórum de Coordenadores de Pós-Graduação do Norte e Nordeste.

Eula Dantas Taveira Cabral 

Doutora (2005) e Mestre (2000) em Comunicação Social pela UMESP. Faz Pós-Doutorado em Comunicação na UERJ. Graduada em Comunicação Social, habilitação em Jornalismo, pela Universidade Federal do Amazonas (1997) e em Educação Religiosa pela Faculdade Batista de Teologia do Amazonas (1996). Jornalista e radialista registrada no Ministério do Trabalho. Trabalha no Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) como pesquisadora; responsável pela área de Comunicação da Coordenação de Ensino e Pesquisa, Ciência e Tecnologia da Informação do IBICT; e na gestão do Portal do IBICT, na área de Pesquisa e Pós-Graduação. Pesquisadora dos Grupos de Pesquisa: EMERGE – Centro de Pesquisas e Produção em Comunicação e Emergência – UFF e Ética e Política da Informação – IBICT, cadastrados no Diretório de Grupos de Pesquisa do Brasil do CNPq. Atua nas áreas de economia política da comunicação e da informação, políticas e estratégias de comunicação, grupos de mídia, tecnologias de informação e comunicação, mídias digitais, inclusão digital, comunicação científica, ciência da informação, jornalismo, publicidade e mídia brasileira

Flávio Beno Siebeneichler

Possui graduação em Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro e doutorado em Teologia e Ciência da religião pela Universidade de Regensburg. Foi professor adjunto do Departamento de Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente é professor titular da Universidade Gama Filho. Tem experiência na área da filosofia contemporânea, especialmente no campo da ética, da Teoria Crítica (teoria estética de T. W. Adorno ), da Fenomenologia (E. Husserl e P. Ricoeur), da Hermenêutica (H. G. Gadamer), da Teoria de Sistemas (de N. Luhmann) e da Pragmática, na linha de J. Habermas e de K. O. Apel. Neste contexto, sobressaem os seguintes temas: razão comunicativa; filosofia pós-metafísica que trabalha em conexão com as ciências humanas e sociais; busca cooperativa da verdade; interdisciplinaridade; estética crítica; filosofia do direito; mundo da vida e sistema, ética do discurso; justiça; responsabilidade solidária; perspectivas da democracia nas atuais sociedades pluralistas.

Geni Chaves Fernandes

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1982), mestrado em Ciência da Informação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1993) e doutorado em Ciência da Informação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2004). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO. Principais temas: epistemologia da CI, análise da informação e do documento, biblioteconomia universitária e usos e efeitos sociais da informação

Gilvan Luiz Hansen

Possui Graduação em Filosofia pela Universidade de Passo Fundo (1985), Graduação em Direito pelo Centro Universitário Plínio Leite (2010), Mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1997) e Doutorado em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2004). Atualmente é professor do Departamento de Direito Privado da Universidade Federal Fluminense, docente da Graduação em Direito, do Mestrado em Justiça Administrativa, do Mestrado e Doutorado em Ciências Jurídicas e Sociais. Tem experiência e publicações na área de Filosofia e em Direito, com ênfase em Ética, História do Direito, Filosofia do Direito, Teoria do Direito, Filosofia da Educação e Filosofia Política. Pesquisador de temas atinentes às discussões contemporâneas sobre Ética, Justiça, Cidadania, Direito e Democracia, especialmente a partir de uma plataforma discursiva. Dedica-se atualmente ao estudo do pensamento de Jürgen Habermas e às implicações deste na construção de uma teoria crítica da sociedade.

Jorge Atilio Silva Iulianelli

Possui graduação em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1989), mestrado em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1998) e doutorado em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2005). Atualmente é professor adjunto do Programa de Pós Graduação em Educação, Linha de Pesquisa Política, Gestão e Formação de Educadores, da Universidade Estácio de Sá; professor auxiliar de Bases Humanísticas no curso de Medicina e de Ética Geral e Profissional, no curso de Direito, do Centro Universitário de Volta Redonda (Unifoa). É assessor pesquisador – Koinonia Presença Ecumênica e Serviço. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Ética e Ética Aplicada. As atuais áreas de interesse para pesquisa são: Ética do discurso (em interpretação de políticas públicas), Política Públicas, Política Educacional, Planejamento e Avaliação Educacional, Filosofia da Educação, Formação de Professores.

Jovino Pizzi

Licenciado e Bacharel em Filosofia (1983) e em Comunicação Social – Jornalismo (1992); mestre em Filosofia (PUCRGS, 1992) e doutor em Ética y Democracia pela UJI (Espanha, 2002), onde foi pesquisador visitante por duas vezes (2005-2006 e 2007).Estágio de pós-doutorado na Universidade Federal de Santa Catarina (2015). Atualmente é professor da Universidade Federal de Pelotas, PPG em Filosofia e em Educação (mestrado e doutorado). Sua pesquisa centra-se especialmente na área de Filosofia Contemporânea, com ênfase na área da Ética, ética do discurso e em éticas aplicadas, com publicações na área (no Brasil, Europa e na América Latina). Autor de livros como: Ética do discurso. A racionalidade ético-comunicativa (1994); El mundo de la vida. Husserl y Habermas (Chile, 2005); O conteúdo moral do agir comunicativo (2005); Desafios éticos e políticos da cidadania (2006) – organizado em conjunto com Cecília Pires; O mundo da vida. Husserl e a crítica de Habermas (2006); Ética e éticas aplicadas. A reconfiguração do âmbito moral (2006) e Ética e responsabilidade social (segunda edição, em 2009). É o organizador da coletânea Diálogo Crítico Educativo: volume I publicado em 2008; II em 2009; III, em 2011; IV em 2013; V e VI, em 2015 (reunindo mais de 120 autores diferentes). Além disso, traduziu diversos artigos e os livros: Ética empresarial. Do diálogo à confiança (2008); e Ética Intercultural (Re) Leituras do pensamento latino-americano (2010). Além disso, tem diversos artigos publicados, em diferentes revistas.

Ludmila dos Santos Guimarães

Professor Adjunto da Escola de Biblioteconomia da UNIRIO. Pós-doutorado em Ciência da Informação. Doutora em Ciência da Informação-PPGCI/UFRJ. Mestre em Ciência da Informação/UnB, graduação em Biblioteconomia e Documentação pela UFF, Especialização em Tecnologia pela UFRJ. Atua nas áreas de Organização do Conhecimento e Educação a Distância. Ministra as disciplinas de Organização do Conhecimento I e II, Comunicação Científica. Tem experiência na área de Ciência da Informação com ênfase em Tecnologias da Informação e Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: bases e banco de dados, informação em ciência e tecnologia, sistemas de informação e representação eletrônica de documentos. E na área educacional em Construção de Ambientes Virtuais de Aprendizagem. Coordenadora Adjunta de Educação a Distância UAB/CAPES da UNIRIO de 2010 a 2015. Membro da Câmara Técnica de Capacitação de Recursos Humanos do CONARQ-MJ desde 2010. Líder do Grupo de Pesquisa CNPq Organização/Produção do Conhecimento Científico e Institucionalidades Positivas.

Luiz Bernardo Leite Araujo

Concluiu o Mestrado em Filosofia na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro em 1986 e o Doutorado em Filosofia na Université Catholique de Louvain (Bélgica) em 1991. Realizou estágios de Pós-Doutorado na Université Catholique de Louvain (1998), na State University of New York (2001-2002), na Goethe Universität Frankfurt am Main (2013) e na Universidade Federal de Santa Catarina (2013-2014). Foi Professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1983-1992), da Universidade Santa Úrsula (1984-1992) e da Universidade Federal de Juiz de Fora (1992-1996). Atualmente é Professor Associado da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Atua na área de Filosofia, com ênfase em Ética e Filosofia Política.

Marcia Heloisa Tavares de Figueredo Lima

Professora associada e pesquisadora do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Federal Fluminense, atua na docência dos cursos de Arquivologia, Biblioteconomia (1994-) e Mestrado em Ciência da Informação – PPGCI/UFF (2009-). Bacharel em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1982), especialista pela Universidade Federal de Viçosa, mestre e doutora em Ciência da Informação pela UFRJ (2004), tem experiência no ensino e pesquisa na área de Ciência da Informação produzindo reflexões principalmente nos seguintes temas: direito de informação, censura, memória e produção científica. Coordena o grupo de pesquisa “Do Direito à Informação à Informação sobre os direitos” e é pesquisadora junto ao Grupo Memória, Discurso e Informação, ambos do CNPq. Realizou estágio pós-doutoral e ganhou prêmio de pesquisa senior com estudos sobre Habermas.

Marina Isabel Velasco

Possui graduação em Filosofia – Universidad de Buenos Aires (1990), mestrado em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1993) e doutorado em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro com estagio na Universidade de Frankfurt (2000). Atualmente é professora associada do Departamento de Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro e do Programa de Pós-graduação em Lógica e Maetafísica (PPGLM). Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Ética, Filosofia do Direito e Filosofia Política, atuando principalmente nos seguintes temas e autores: racionalidade prática, argumentação moral e argumentação jurídica, J. Habermas e R. Alexy.

Marta Macedo Kerr Pinheiro

Pós-doutorado em Ciência da Informação e da Comunicação pela Universidade Paul Sabatier/IUT/Toulouse III (2008). Doutorado em Ciência da Informação – IBICT/CNPq-ECO-UFRJ (2001) com Doutorado Sanduíche em Sociologie pelo Centre d’Études des Mouvements Sociaux (1999). Mestrado em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais (1993). Graduação em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais (1974). Atualmente é professor e pesquisador permanente da Universidade FUMEC em cursos de graduação e pós-graduação Stricto Sensu e é sub-coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento e Professora Colaboradora do Programa de pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais. ) Atua em pesquisa, nas seguintes temáticas: Políticas de Informação, Estado Informacional, Inteligência e conhecimento governamental.Participa de acordo Internacional de Cooperação Acadêmica com a Universidade Lille III na França e membro da rede Franco-Brasileira de pesquisadores em Mediações e Usos Sociais de Saberes e Informação-MUSSI. É pesquisador/colaborador do Centro de Estudos Estratégicos e Inteligência Governamental- CEEIG- UFMG

Nadja Mara Amilibia Hermann

Possui graduação em Filosofia pela UFSM, mestrado em Educação pela PUCRS e doutorado em Educação pela UFRGS (1995), com doutorado sanduíche na Universidade de Heidelberg – Alemanha. Foi professora titular de Filosofia da Educação da UFRGS de 1997 a 2005 e professora adjunta da PUCRS de 2005 a 2015. Coordenou o Comitê de Educação e Psicologia da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul no período de 2002 a 2006. Realizou estágios de pesquisa na Universität Heidelberg/Erziehungswissenschatliches Seminar nos anos de 1998, 1999 e 2005. Em 2012 recebeu bolsa CNPq, modalidade EV-1, para realizar Intercâmbio Interinstitucional com o IBICT tratando do Tema: Racionalidade, aprendizagem e ética em Habermas. Foi Editora da revista Educação (Porto Alegre) de 2010 a 2015. Atualmente atua como pesquisadora do CNPq e lidera o Grupo de Pesquisa “Racionalidade e Formação”, hospedado na PUCRS. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Filosofia da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: filosofia da educação, racionalidade, hermenêutica, Habermas, Gadamer, ética, ética e estética, alteridade.

Valdir Jose Morigi

Possui graduação em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1984), graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal da Paraíba (1998), mestrado em Sociologia Rural pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1988) e doutorado em Sociologia pela Universidade de São Paulo (2001). Atualmente é professor associado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Sociologia e Ciência da Informação, com ênfase em Processos de Disseminação da Informação, atuando principalmente nos seguintes temas: cidadania, consumo, cultura popular, memória social, festas populares, conhecimento e sociedade, imaginário, mídia e representações sociais, cultura, sustentabilidade e meio ambiente .

Valéria Cristina Lopes Wilke

Professora Adjunta do Departamento de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/Unirio. Doutora em Ciência da Informação pelo Instituto brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia/UFF (2009). Mestre em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1996). Bacharel e licenciada em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1991). Bacharel em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (1984). Tem experiência na área de Filosofia, atuando principalmente nos seguintes temas: filosofia e informação, epistemologia e teoria do conhecimento, história e filosofia da ciência, texto fílmico, educação, memória e leitura. Diretora da Faculdade de Filosofia da Unirio.

Programação

FOLDER COM A PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO XII COLÓQUIO HABERMAS – CONFLITOS CONTEMPORÂNEOS: DIREITOS HUMANOS E SOLIDARIEDADE & III COLÓQUIO DE FILOSOFIA DA INFORMAÇÃO

 

 

Terça13 de setembro Quarta14 de setembro Quinta15 de setembro
9:00-10:30 A implantação de um paradigma solidário através de do modelo democrático procedimental
Rubens Lyra
Charles da Silva Nocelli
Verônica Batista do NascimentoDireitos fundamentais na garantia da efetivação democrática a partir da teoria do discurso de Jurgen Habermas
André Guimarães Borges Brandão Reconhecimento e solidariedade: Possíveis caminhos à fundamentação dos direitos humanos em sociedades complexas.
Marcelo Farias Laranjeira 

Direitos humanos, resolução de conflitos e Estado democrático de direito
Sérgio Murilo Rodrigues

 

 

A mediação de conflitos no Código de Processo Civil e na práxias – uma análise jurídico discursiva: Um estudo empírico na Comarca de Macaé/RJ
Cândido Francisco Duarte dos Santos e Silva
Raphaela Nascimento de Carvalho A interface entre o consumo e o agir racional: a necessidade do Esclarecimento na construção de um entendimento mútuo para Mediar
Raquel Ribeiro de RezendeSobre o conceito de tolerância em Habermas
Wescley Fernandes Araújo FreireJurgen Habermas Kwasi Wiredu: Reflexões sobre o consenso
Francisco Antonio de Vasconcelos

 

Solidariedade e ética do discurso como fatores essenciais para a inclusão do outro nas sociedades complexas
João Paulo Rodrigues

 

Uma abordagem humanística para o trabalho com informação
Tirza Rodrigues
Clovis Ricardo Montenegro de LimaDa Técnica como Ideologia para a Esteira da Tecnocracia: Aspectos políticos nas análises de Jürgen Habermas em meio à linguagem e a liberdade do Ser Humano
Diogo Silva CorrêaHonneth frente à virtualidade na Educação a Distância
Vanessa dos Santos Nogueira
Jovino Pizzi 

Validação discursiva de procedimento da estratégia saúda da famlia em tempo real
Mariangela Rebelo Maia
Clóvis Ricardo Montenegro de Lima

 

 

 

10:30-10:45 Café Café Café
10:45-12:15 Globalização, direitos humanos e solidariedade: Uma análise a partir da teoria de Jürgen Habermas
Charles da Silva NocelliLiberdade em construção: a renovação dos fundamentos da autonomia privada entre a conflitualidade do reconhecimento dos direitos humanos
Simone Vinhas de OliveiraOs limites e as possiblidades das perspectivas de inclusão, reconhecimento e emancipação no Tribunal Europeu dos Direitos Humanos: Uma análise a partir da Teoria Reconstrutiva do Direito de Jürgen Habermas e da Teoria do Reconhecimento de Axel Honneth
Vanessa Capistrano Ferreira 

Reconstruindo esferas públicas: Contribuições a partir do diálogo Habermas-Bakhtin
Valderí de Castro Alcântara
Marco Antônio Villarta Neder
José Roberto Pereira
André Spuri Garcia

 

De Frankfurt ao mundo: Uma revisão da produção acadêmica em torno de Jürgen Habermas nos campos da Administração, Administração Pública e Economia
André Spuri Garcia
Valderí de Castro Alcântara
José Willer do Prado
José Roberto PereiraTeoria do reconhecimento e o programa Bolsa Família: possibilidades educacionais na perspectiva da justiça social
Carline Schröder Arend
Jovino Pizzi Críticas a PEC 215: a necessidade de participação dos índios na perspectiva da democracia deliberativa procedimental habermasiana
Nathália Uchôa dos Santos
Gabriela Miranda Duarte 

 

Eleições municipais de 2016: Ativismo judiciário submetido à perspectiva da ética e da moral habermasiana
Denis Ribeiro dos Santos

 

 

A relação entre enunciados e visibilidade na pesquisa sobre aborto no Brasil: Onde estão as palavras e as coisas?
Martha Neiva Moreira
Rose Marie SantiniAos memoráveis a
história, aos infames o esquecimento.
Asy Pepe Sanches Neto
Marcia H. T. de Figueredo LimaProcesso e linguagem: a instrumentalidade do texto processual.
José Antonio Callegari
Marcelo Pereira de Mello 

As dignitas frente ao humano: apontamentos entre Habermas e Agamben
Vinícios Souza de Menezes

 

 

12:15-14:00 Almoço Almoço Amoço
14:00-15:30 O princípio da cooperação processual e a mediação judicial – Comentários Jurídico-Filosóficos
Cândido Francisco Duarte dos Santos e Silva20 anos depois: reavaliando o debate entre Habermas e Rawls
Luiz Bernardo Leite Araujo Habermas e Honneth a propósito da democracia
Delamar José Volpato Dutra 
Contribuições habermasianas para a reflexão sobre os direitos humanos difusos, dos povos tradicionais e dos povos das democracias ameaçadas.
Jorge Atilio Silva Iulianelli Habermas e a construção de nexos  entre dignidade humana, educação e direitos humanos.
Edna Gusmão de Góes BrennandSolidariedade: repercussões educativas
Nadja Hermann 
Informação, documento e verdade: alguns elementos para uma teoria da informacao a partir dos atos da Comissao da Verdade
Clovis Ricardo Montenegro De Lima O papel da informação e os conflitos no mundo atual: direitos humanos e solidariedade
Valdir MorigiA complexidade na elaboração  de políticas de informação:  além das previsões de Habermas.
Marta Kerr Pinheiro
15:30-16:00 Café Café Café
16:00-17:30 A resposta de Habermas a crítica de Arendt a noção de direitos humanos
Charles FeldhausDignidade humana e direitos fundamentais. Uma grande mudança na concepção do Direito de Habermas?
Marina VelascoDireitos humanos e democracia radical no pensamento habermasiano
Flávio Beno Siebeneichler
A racionalidade ético-comunicativa e as esferas do reconhecimento intersubjetivo do sujeito pronominal: análise crítica
Jovino PizziReflexao sobre o tema da vulnerabilidade
André BertenAs pessoas jurídicas de direito provado – vulneráveis e hipossuficientes? Um estudo da Validade a da Facticidade em âmbito consumerista.
Cândido Francisco Duarte dos Santos e Silva
Gilvan Luiz Hansen 
O sentido do olhar: da alegoria da caverna aos jogos de linguagem
Claudia Guerra O ‘transcendental’ da solidariedade como bem comum no mundo contemporâneo
Ludmila dos Santos GuimarãesNos rastros renascentistas, a tensão utopia e informação na era dos direitos humanos universais
Valéria Cristina Lopes Wilke

Comunicações coordenadas

Clique aqui para baixar a lista das Comunicações Coordenadas

Submissão

Caros colegas,  Os colóquios serão realizados entre 13 e 15 de setembro no Rio de Janeiro.  As submissões podem ser feitas ate 14 de agosto por e-mail.  A submissão inicial pode ser feita por envio do artigo ou de um resumo, devendo o artigo ser encaminhado antes do evento.
Cordialmente,
A comissão organizadora

Envio de trabalhos completos EXCLUSIVAMENTE pelo email: coloquioshabermas@ibict.br

Pesquisadores e estudantes de Pós-Graduação stricto sensu poderão submeter os seus trabalhos para serem apresentados nas sessões dos Colóquios.

Todos os trabalhos apresentados no Colóquio serão publicados, posteriormente, em anais sob a licença Creative Commons.

  • O período para o envio de submissões começa dia 04 de abril de 2016.
  • Previsão de término das submissões: 31 de julho de 2016

Para utilizar o template clique abaixo:

Template – XII Coloquio Habermas

DA  FORMA DE APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS

Utilizem o template.

Os trabalhos devem ser enviados em arquivo tipo Word 97-2003, em forma de texto completo. A folha de rosto deve conter: Título do trabalho; Nome(s) do autor e co-autores; Filiação institucional de cada autor; Titulação de cada autor; E-mail de cada autor. O trabalho deve ter o formato A4, com 15 a 20 laudas, incluindo folha de rosto e referências. As margens: superior = 3,0cm; inferior = 2,0cm; esquerda = 3,0cm; direita = 2,0cm. O espaçamento entre linhas: 1,5 entre linhas, sem espaçamento entre parágrafos e com recuo de 1,25cm no início de cada parágrafo. A fonte deve ser: Times New Roman tamanho 12. As notas explicativas devem vir na página onde são inseridas (comando: nota de rodapé – fim de página). A estrutura do texto, numeração seqüencial dos itens, citações e referências devem seguir as normas da ABNT para trabalhos científicos.

 

Anúncios